Depois de 40 anos, a CODESAIMA mudou o seu estatuto. uma das alterações do novo Contrato Social foi a mudança do nome da Empresa que agora passará a ser chamada de COHAMI-RR

  O novo nome ainda precisa de um projeto de Lei Estadual para ser aprovado na Assembleia Legislativa de Roraima - foto/arte Comunicação CODESAIMA

Está decidido que a CODESAIMA (Companhia de Desenvolvimento de Roraima) vai mudar de nome. Na assembleia geral, ocorrida dia 26, o Conselho Administrativo aprovou a mudança da sigla da Empresa que passará a ser chamada de COHAMI-RR (Companhia de Habitação e Mineração de Roraima).

O presidente da Companhia, Anastase Papoortzis, justificou a inclusão desta alteração na proposta do novo Estatuto Social da Empresa. Ele disse que a intenção é reforçar as novas atribuições da CODESAIMA que agora atuará nas áreas da Habitação e Mineração.

O governador de Roraima, Antônio Denarium, participou da reunião e foi dele a sugestão do novo nome, acatado pela maioria dos conselheiros.

Para a mudança ser efetivada, o chefe do Executivo deve apresentar uma proposta de Lei Estadual à Assembleia Legislativa de Roraima que votará a permissão na alteração.

O termo “Desenvolvimento” foi suprimido porque, segundo o presidente, ampliava muito o leque de atuação da Companhia, que, por vezes invadia as atribuições de outras secretarias.

Agora, a COHAMI-RR irá se concentrar em áreas específicas. “Somos naturalmente uma COHAB (Companhia de Habitação) e herdamos 29 minas registradas para exploração”, explicou.

Quando foi criada, em outubro de 1979, a CODESAIMA atuava diretamente no setor produtivo do então Território Federal de Roraima. Nesta época, a BR-174, única via de acesso ao vizinho estado do Amazonas, não era asfaltada, o que encarecia muito o frete e o preço de produtos; havia uma pequena produção de alimentos; não havia um matadouro de grande porte, com condições sanitárias satisfatórias; havia uma demanda por moradia crescente; nem sequer os produtores tinham insumos básicos como calcário à disposição.

Em todas estas áreas a CODESAIMA atuou. E é impossível imaginar que o Estado de Roraima pudesse se consolidar sem que essas metas fossem enfrentadas e cumpridas. Em 40 anos a Empresa construiu: o Mafir (Matadouro e Frigorífico Industrial de Roraima); as fábricas de gelo dos municípios de Boa Vista e Caracaraí; o incubatório de frangos; a Usileite para laticínios; a Usina de Calcário; 23 conjuntos habitacionais, em Boa Vista, Mucajaí e Caracaraí, entre outros projetos.

Ainda está na memória dos moradores mais antigos do Estado os produtos que a Companhia produzia e vendia em postos espalhados por toda a cidade. Frios como mortadelas e queijos; leite pasteurizados e iogurtes; salsichas e linguiças, além de frangos e carnes eram vendidos nesses pontos a um preço acessível.

Mas, hoje a classe de produtores e empresários se fortaleceu. Já são capazes de atender as demandas da população; uma rodovia pavimentada e o frete de produtos mais barato permitem que o roraimense tenha suas necessidades supridas com preços razoáveis.

Mesmo assim, a COHAMI-RR irá preservar a tradição da CODESAIMA e irá exercer funções que a iniciativa privada de Roraima ainda não pode cumprir.

Não existe empresa no Estado capaz de diminuir o déficit de 30 mil moradias. Com o novo Programa Casa Verde e Amarela do Governo Federal e a COHAMI-RR atuando como COHAB, esta solicitação da população poderá ser em grande parte respondida. A Companhia ainda possui várias áreas que podem abrigar projetos de moradia.

Na área mineral, não há ninguém no Estado que tenha 29 minas registradas com o potencial das áreas da Empresa. Ter um ente do Estado de posse desse patrimônio é uma garantia de que os recursos explorados serão usados em prol da população de Roraima e de seu crescimento.

Portanto,  a COHAMI-RR também terá uma grande participação no desenvolvimento de Roraima.