Nesta quarta-feira, 19 de agosto, o Conselho Administrativo da CODESAIMA se reuniu para deliberar sobre mudanças e novas atividades da Empresa.
 
Um dos assuntos abordados foi o de cessão de uso de imóveis que estavam sem aproveitamento. No mês passado, foram feitos contratos para uso de dois prédios, localizados no Distrito Industrial, no bairro Aquilino Mota Duarte, em Boa Vista.
 
A ASA-RR ( Associação Setentrional de Apicultura de Roraima) está ocupando um prédio de 45,36 m x 18,30 m, onde vão utilizar para todo o processo de produção e beneficiamento do mel. Fazem parte desta entidade cerca de 120 apicultores que no ano passado exportaram 50 toneladas de mel e derivados para a Europa.
 
Pelo contrato de cessão, os apicultores serão responsáveis pela reforma, manutenção, pagamento de impostos e conta de água e luz. A validade do acordo é de 5 anos e a partir do segundo ano a associação pagará aluguel.
 
Na reunião, o presidente da CODESAIMA, Anastase Papoortzis, defendeu a cessão de uso dizendo que a expectativa é que, com a nova estrutura, a produção de mel até triplique já no próximo ano e conquiste mais mercado devido sua qualidade. “O mel de Roraima é conhecido por ser totalmente livre de agrotóxico “, afirmou.
 
Foi votado o pedido dos apicultores de utilizar equipamentos que estão no prédio. São bombas, caixa-d’água, tanques e compressores que eram utilizados na produção de laticínios. O uso deste material não estava no contrato, mas os conselheiros aceitaram a solicitação, o que vai dinamizar a produção de mel.
 
Outro contrato fechado com a Coopeixe ( Cooperativa dos Piscicultores de Roraima), estabelece que, no período de dois anos, os piscicultores ficarão responsáveis pela manutenção, pagamento do fornecimento de água e luz, taxas e impostos, assim como o salário de funcionários, além de pagamento de aluguel do prédio.
 
A propriedade utilizada tem 1.157,05 m² de área construída com: prédio industrial com 519,41m²; prédio administrativo com 213,58m²; guarita; prédio anexo com 409,58m²; calçadas e circulação viária de 1.766,70m².
 
Também foi realizado um acordo com um autônomo que ocupava o terreno da CODESAIMA onde está sendo construído o Hospital do Amor, no bairro Pricumã. Mesmo estando irregularmente na área, foi proposto para o comerciante a mudança de sua venda, que agora será no terreno da AECO (Associação dos Empregados da Codesaima) que fica em frente ao Hospital. O vendedor também pagará aluguel desse ponto.
 
O presidente esclareceu aos conselheiros que esses contratos tem o apoio do governador Antônio Denarium e servem para que a Empresa dê um destino útil às suas propriedades, não permitindo que sejam invadidas ou fiquem ociosas, e também que haja faturamento com os aluguéis, que serão contabilizados e utilizados nas despesas da Empresa.
 
 

 Os seis conselheiros aprovaram a política de cessão de uso de propriedades da CODESAIMA, apresentada pelo presidente, Anastase Papoortzis.