O presidente da CODESAIMA, Anastase Vaptistis Papoortzis, está em Brasília (DF) articulando apoio de autoridades para os novos projetos da CODESAIMA.

Na próxima quinta-feira, 03 de outubro, a Empresa completa 40 anos e entrará numa nova fase onde o enfoque maior será atuar nos setores de habitação e mineração.

Em vista disso, Anastase está apresentando a parlamentares e autoridades as propostas para desenvolver planos voltados para estes fins e que necessitarão de recursos.

Na quarta-feira, 11, esteve reunido com o deputado federal Hiran Gonçalves (PP-RR); com o líder do Partido Progressista, deputado federal Arthur Lira (AL); com o ex-ministro da Saúde, deputado federal Ricardo Barros (PP-PR); o presidente da Comissão de Seguridade Social e Família, deputado federal Antônio Brito (PSD-BA) e no fim da tarde esteve com o senador Chico Rodrigues (DEM-RR).

A mineração é a atividade mais promissora das novas diretrizes da CODESAIMA, que possui 29 áreas para mineração localizadas em áreas indígenas.

Para iniciar a exploração é necessária uma lei regularizando-a. A participação dos parlamentares de Roraima em torno desta questão é fundamental para que a permissão da mineração seja concedida o mais rápido possível, melhorando a situação financeira da empresa e do Estado.

Segundo o que foi publicado na imprensa, o governo federal pretende enviar ainda neste mês de setembro ao Congresso Nacional o projeto de lei sobre a exploração de recursos minerais em áreas indígenas. Essa informação foi dada na terça-feira, 24, pelo secretário de mineração do Ministério de Minas e Energia, Alexandre Vidigal.

Segundo ele, o critério de compensação para as tribos indígenas ainda está sendo definido. Entre as possibilidades, o governo avalia a fixação de royalties sobre a exploração da riqueza e participação nos lucros, entre outras propostas.

Resolvido este impasse, a CODESAIMA terá que se estruturar para poder investir em pesquisas, projetos e em contratação de pessoas especializadas nesta área.

Apesar da Mineração constar no estatuto da empresa desde sua criação, em 1979, só foi oficializada como diretoria em 2010, o que mostra que a Companhia precisará adquirir experiência nesse setor altamente competitivo. “Temos que ter muita atenção no que vamos fazer nesta área”, disse Vaptistis, lembrando que é necessário haver projetos bem estruturados para que a CODESAIMA e o Estado se beneficiem do imenso potencial das minas.

A preocupação do presidente se justifica porque os registros de áreas da CODESAIMA já foram bem maiores e a posse desse patrimônio foi se perdendo por más gestões da CODESAIMA. Há um grande esforço para manter essas 29 restantes, mas a estimativa é que essas sejam o suficiente para mudar de patamar financeiro a Empresa e o Estado .